Voltar

Biscoitos, quitutes e restaurante no Interior.

  • Por: Comunicação Adeturci
  • Em: 18/10/2016
  • Categoria: Gastronomia
  • Imagens: PMAC


Quando o assunto é trabalho e determinação, dona Virgínia da Penha Almonfrey Orlandi, a tia Virgínia, 69, tira de letra. A alfredense começou sozinha fabricando biscoitos caseiros há 40 anos na localidade de São Sebastião, no interior de Alfredo Chaves, e hoje conta com uma indústria que leva seu nome e comercializa para todo o Estado.

 Logo que casou, dona Virgínia não queria depender do marido financeiramente, e ai resolveu fabricar biscoitos e vender na região. Os produtos ficaram famosos pela qualidade e pelo sabor.

 

A simpática filha de agricultores viu a oportunidade de ampliar a produção quando a lavoura de bananas que sustentava a família começou a ruir. Desde então, com visão empreendedora, ela começou a comercializar seus produtos na grande Vitória. “Minha irmã me ajudou a vender os biscoitos, aproveitávamos as sacolas de açúcar e arroz para embalar os produtos que eram levados de trem de Matilde até Cariacica”, relembra.

 

“Os pedidos foram aumentando e muitos começaram a visitar a nossa singela fábrica. Oferecia café e alguns dos nossos produtos, depois as pessoas iam embora com sacolas dos biscoitos. Vendíamos bastante”, conta sorrindo.

 

Os anos se passaram e a fábrica foi crescendo, os produtos começaram a ser aceitos em grandes redes de supermercados da capital capixaba e em outras cidades do Estado. Hoje a fábrica conta com 13 funcionários e os três filhos largaram os empregos para se dedicarem no empreendimento familiar. “Vendemos para diversos locais, até para o Rio de Janeiro e São Paulo”, conta.

 

Além de biscoitos de diversos sabores eformatos, a família produz pães e bolos. No sítio onde é a sede da fábrica, também são comercializados queijos, doces e compotas, todos fabricados pelas mãos habilidosas de dona Virgínia. O negócio deu tão certo que a família construiu uma pousada e serve almoço para grupos de pessoas, mediante agendamento.

 

O sucesso, tia Virgínia atribui ao amor que se dedica no preparo dos produtos e no carinho do envolvimento familiar. “Comecei há quarenta anos, somente eu e Deus, hoje tenho funcionários e meus filhos. Formamos uma grande família que produz com amor”, disse.

 

Como chegar. O sítio fica aberto todos os dias e o acesso é pela ES 146, estrada de Matilde. Antes de São Marcos, entrar no acesso a Ibitirui, sentido de quem vem da sede de Alfredo Chaves. Mais da metade do percurso é asfaltado.

Alfredo Chaves

Topo