Voltar

Anchieta

  • Por:
  • Em: 22/11/2016
  • Categoria: Notícias
  • Imagens: Rocio Fotografia


Anchieta está a 78 km da capital Vitória e seus acessos são pela Rodovia do Sol, BR 101 e ES 146 - Rodovia Gilberto Alves Domingues.

 

A economia se baseia na indústria, na pesca, no comércio e serviços, na agropecuária e no turismo. A empresa de maior importância é a Samarco Mineração (produção e exportação de pelotas de ferro). O município ainda vive a expectativa de crescimento econômico com a implantação de um grande polo industrial e um novo terminal marítimo. O turismo é também um dos propulsores econômicos do município. Os turistas são atraídos pelos balneários do município, e pelas agroindústrias familiares vinculadas ao agroturismo que favorecem a ampliação de renda das propriedades da região, com o processamento de mandioca e frutas que se transformam em pães, doces, bolos, biscoitos, geleias, cachaça. O agroturismo é fortalecido pelas associações de mulheres de Alto Pongal, Corindiba, e Córrego da Prata sendo esta última uma referência estadual.

 

O clima é tropical com temperatura média entre 27°C a 34°C. Possui mais de 20 praias que vão de animadas à bucólicas e preservadas, distribuídas em 5 (cinco) balneários em sua orla de 25 km: Ubú, Parati, Iriri, Mãe-Bá e Ponta dos Castelhanos. A praia dos Castelhanos, foi indicada para concorrer ao selo Bandeira Azul de excelência em qualidade.

 

A bacia do Rio Benevente banha o município e os rios Pongal, Corindiba e Salinas são os seus principais afluentes, um conjunto que contribui para a formação de corredeiras e cachoeiras como a da Luz, do Cafundó e Cabeça Quebrada na divisa com Guarapari, e de lagoas como a Maembá, Ubú ou Azul. Os rios são em si patrimônio paisagístico do município.  Anchieta possui a Estação Ecológica de Papagaio e as Áreas de Proteção Ambiental Tartarugas, Papagaio e Monte Urubu e outras áreas prioritárias para conservação como as lagoas naturais, os manguezais, as serras de Itaperoroma e de Jaquiçabe e o Parque do Pico Independência.

 

O município, um dos mais antigos do Brasil, teve sua origem na aldeia indígena de Reritiba (que significa lugar de muitas ostras), fundada pelo padre jesuíta José de Anchieta em 15/08/1561, dia de Nossa Senhora da Assunção.  Reritiba tornou-se Vila de Benevente e cidade em 1887, com nome “Anchieta”, uma homenagem ao padre espanhol nascido em 1534 em Tenerife, nas Ilhas Canárias, que recebeu a missão de catequizar os índios brasileiros, e viveu em Reritiba desde 1587 até sua morte em 1597. O Padre tinha o dom da comunicação: traduziu a língua tupi, escreveu poemas e peças de teatro, e o seu modo simples de vestir e o respeito pela cultura fez com que os índios se aproximassem dele. Graças a ele a língua portuguesa tem mais de 10 mil vocábulos indígenas. Beatificado em 1989 era conhecido até recentemente como Beato Anchieta. Após mais de 400 anos, foi canonizado em 03 de Abril de 2014 pelo Papa Francisco tornando-se São José de Anchieta. O principal patrimônio do município, composto pela Igreja de Nossa Senhora da Assunção, pela antiga residência do “Apóstolo do Brasil”, um sítio arqueológico e o Museu Nacional de Anchieta fazem parte, hoje, do Santuário Nacional de São José de Anchieta.

 

As manifestações culturais são religiosas, folclóricas, artísticas e ecológicas. Nas religiosas estão a Festa de São José de Anchieta (9 de junho); São Pedro, com a Procissão Marítima (29 de junho); Nossa Senhora da Assunção (15 de agosto) e Nossa Senhora da Penha (8 de setembro). No âmbito folclórico chamam a atenção os grupos de dança portugueses e italianos, as bandas de Jongo os grupos de Jaraguá e de Capoeira. Nas artísticas estão as fanfarras, bandas de música e grupos teatrais e nas ecológicas estão os passeios nas águas do rio Benevente com visita às ruínas, a descida ecológica de caiaque no rio Benevente e as caminhadas como os Passos dos Imigrantes (entre Anchieta e Alto Pongal), Passos de Anchieta (de Vitória à Anchieta), Passos dos Quilombolas (até à comunidade de São Mateus e é noturna) e a Cavalgada da Amizade que mistura aspectos turísticos, ecológicos, culturais e religiosos.  Outra manifestação cultural se dá pelo artesanato confeccionado com matérias primas naturais como conchas, búzios e escamas de peixes e com a fibra da planta aquática taboa que serve para a elaboração de bolsas, caixas e até móveis. O artesanato de taboa já recebeu 14 premiações, sendo uma delas concedida pela UNESCO. Além das festas religiosas, estão no calendário os eventos gastronômicos como o Festival Capixaba de Frutos do Mar, a Festa da Tapioca, o Forrobobó e Sabores de Anchieta.

 

Anchieta possui 05 Circuitos Turísticos que facilitam a visitação: 1) Circuito Cultura e Fé; 2) Circuito Praias, Náutico Recreativo Científico, Projeto TAMAR; 3) Circuito Rio Benevente e Ruínas; 4) Circuito dos Imigrantes (agroturismo) e 5) Circuito Vale Viver Corindiba.

 

Anchieta possui mais de 40 meios de hospedagem que somam mais de 2800 leitos e cerca de 40 estabelecimentos de alimentação.


Fonte: Top 3 Consultoria

Topo